O município de Porangatu localiza-se no extremo Norte do Estado de Goiás, sendo limítrofe ao Estado do Tocantins. Situa-se na micro Região de Porangatu, cortado pelo paralelo 13 e integra a Bacia Araguaia Tocantins, as margens da rodovia BR 153 distando da Capital, Goiânia, 420 km e 400 da Capital Federal, Brasília. É considerada cidade pólo dentro do contexto estadual de Goiás, por possuir uma rede de serviços que atende aos outros dezoito municípios do norte goiano.

Sua economia sempre foi caracterizada pela agropecuária, com períodos de grande produção agrícola. Com declínio da agricultura a partir da década de 80 em todo país, o município de Porangatu voltou sua economia para a criação extensiva de gado de corte e leiteiro.

Como ponto turístico, destaca-se a Lagoa Grande de Porangatu, denominada, Alexandrino Cândido Gomes, riqueza natural e local de concentração da juventude. Na pista em volta da Lagoa os moradores costumam fazer caminhada diária, para relaxar e cuidar da saúde.

Com relação ao relevo, ressaltamos as principais serras existentes, sendo elas: Serra Azul, Serra Verde, Serra do Estrondo, Serra Picos, Serra Santa Tereza, Serra Santa Luzia, e Serra da Sabina. A vegetação predominante é a do cerrado e clima quente, tropical úmido.

A população é composta por 42.355 habitantes (IBGE/2007), caracteriza-se pela miscigenação étnica destacando-se o indígena (Grupo Avá Canoeiro), no período colonial de sua origem, o negro do período escravagista e o branco colonizador. Após o advento das políticas de integração nacional e da construção da BR 153 Belém/Brasília, destacam-se o grande número de paulistas, mineiros e gaúchos que deslocaram para a região, contribuindo assim, para compor o quadro étnico de Porangatu.

O município é banhado por rios, córregos e ribeirões, destacando-se: Rios: Santa Tereza, Cana Brava, Ouro, Novilho, Morro Alegre, e Pau Seco. Córregos: Travessia, Açude Grande, Lajeado, Cipó Grande, São Roberto, Parreira, Fundo, Areião e Porcos. Ribeirões: Funil, Pasto das Éguas, Meio e Amargoso.

Conforme relatos orais o nome de Porangatu é uma derivação da língua Tupi, e seu significado é definido pela Lenda de Angatu. Sendo que, a verdadeira história de sua origem é controvertida, a documentação a respeito é falha, por se tratar de informações lendárias.

Este município surgiu nos primórdios da mineração do ouro. De acordo com os dados oferecidos pelo IBGE, p. 370, da Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, edição de 1958, consta que em “1952, os padres da Companhia de Jesus, construíram na região a Fazenda Pindombeira, que ficou famosa como colônia dos Índios”. Esta afirmativa, no entanto, é eivada de incertezas históricas, visto a falta de documentos sobre o período.

Segundo Pesquisas do professor Paulo Bertran Porangatu pertenceu a Amaro Leite (fundados em 1742, dados do IBGE da Enciclopédia dos Municípios Brasileiros ed. 1958), que por sua vez pertencia à Freguesia de São José do Tocantins (Niquelândia). Consta ainda dos apontamentos de Paulo Bertran que o Padre Luiz Antônio Silva e Souza relacionava: “Amaro Leite” (Mara Rosa) e na sequência “Descoberto de Amaro Leite”, dois lugares diferentes, portanto, o último querendo designar o atual Porangatu, “sobre o qual em 1824, Cunha Matos diz: Arraial do Descoberto da Piedade”. Teve sua emancipação política em 25 de agosto de 1948, pela lei nº 122, período em que passa a denominar-se Porangatu (Poran = bela, Gatu = paisagem) instalando-se em 1º de janeiro de 1949, sendo elevado a Comarca em 14 de novembro de 1952, pela Lei nº 704.

A contribuição efetiva que o Centro de Educação Superior do Norte Goiano Ltda. deverá dar ao desenvolvimento da região norte do estado de Goiás, antecipar como a Faculdade deve ser aparelhada para cumprir com eficiência essa missão e ficar à altura de absorver a expansão prevista para o período e antever as medidas necessárias ao processo de solidificação da instituição. Conforme documentos da Secretaria Estadual de Planejamento (SEPLAN), a cidade de Porangatu/GO é a mais desenvolvida e industrializada desta região do Estado, conhecida também pelo seu rico folclore e artesanato.

A proposta da criação de uma Faculdade no Município de Porangatu/GO surgiu de ideias de experientes profissionais goianos na área de criação e constituição de curso de educação em ensino superior no Estado de Goiás, ao vislumbrar o contingente populacional deste Município e a sua capacidade de desenvolvimento por meio da educação, instrumento este indissociável do progresso do Estado.

O Município de Porangatu/GO é o 33º PIB do estado, que contava com 246 Municípios em 2005 segundo a SEPLAN; 35º município mais competitivo do estado e 21º em população.

Em síntese, com este planejamento, procuramos dotar a nova Faculdade do Norte Goiano de um plano estratégico capaz de orientar e integrar a ação de toda a instituição no esforço de atingir sua missão, seus objetivos, suas finalidades e suas metas estratégicas.


© 2015 Faculdade do Norte Goiano. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Matheus Ribeiro Marques.

FNG - QUALIDADE - SERIEDADE - FUTURO - Tel: (62) 3367-1090